OBSERVATÓRIO DO AMBIENTE DOS AÇORES

A ação do OAA centraliza-se na promoção de atividades de experimentação e de divulgação científica de temáticas relacionadas com o Ambiente.

1ª Sessão Cinema no Centro de Ciência de Angra do Heroísmo -A A +A

No próximo dia 12 de Março, pelas 14 horas, terá lugar a 1ª Sessão Cinema no Centro de Ciência de Angra do Heroísmo.

Esta sessão é pensada para os mais pequenos, mas é um convite a pequenos e graúdos. Venha passar um sábado diferente connosco!

Duração: 53 minutos

Programa

  • Curtinhas da Cine Eco 2015: 

1. A Energia na Terra chega para todos.Basta partilhá-la!’, Portugal, 2012, 1 minuto As crianças de Almada juntaram-se para deixar uma mensagem aos governantes do mundo: "A energia na Terra chega para todos. Basta partilhá-la!" A Câmara Municipal de Almada associou-se a esta ideia, que esteve na Cimeira Rio+20 num filme animado de 45 segundos. Este filme, criado pela Câmara Municipal de Almada, Agência Municipal de Energia de Almada e pela equipa do cineasta José Miguel Ribeiro, expressa de forma simples e universal como a utilização mundial da energia terá que ser melhor repartida no futuro.

2. ‘Haina: O Filtro’, de Arnaldo Galvão, Brasil, 2012, 1 minuto Uma fumaça assustadora ameaça Haina e ela precisa descobrir uma solução.

3. ‘De Onde Vem a Água o Rio’, de Mateus Di Mambro, Brasil, 2011, 3 minutos De uma forma lúdica, este filme oferece uma resposta científica a uma questão bastante simples, curiosamente posta por uma criança portuguesa, chamada Ruben e que vive em Braga: De onde vem a água do rio?

4. Água É Para Todos’, de Diogo Viegas, Brasil, 2011, 1 minuto A água não é para um, mas sim para todos.

5. ‘Os Sustentáveis’, de Lisandro Santos, Brasil, 2011, 1 minuto Para salvar a humanidade das terríveis ameaças do sistema, podemos contar com a ONG de super-heróis conhecida como Os Sustentáveis.

6. ‘Os Desabrigados’, de Alexandre Costa, Brasil, 2012, 1,5 minutos Os animais perdem o seu lar. E porque é que perderão o seu lar? Um filme para assistir e pensar numa maneira de salvá-los.

7. ‘Oligoquê?’, de Paulo José, Brasil, 2011, 12 minutos Os gêmeos Beto e Bete vão, a contragosto, passar as férias no sítio da bisavó. Lá conhecem Oligoquê, uma estranha minhoca de óculos que os ensina a voar num baião mágico capaz de transportá-los para qualquer lugar, descobrindo os maravilhosos mistérios da natureza.

8. Vento (Wind), Robert Löbel, Alemanha, 2013/04, 4 minutos Uma curta de animação sobre a vida e o dia a dia de um país com muito vento, sobre os seus habitantes, pessoas que parecem indefesos e expostas ao tempo. No entanto, os habitantes aprenderam a lidar com as suas condições de vida difíceis. O vento cria um sistema natural de viver.

9. Eu Quero-te! (Yo te quiero!) Nicolás Conte, Argentina, 2014, 8 minutos No seu percurso habitual de regresso da escola Juancito, um menino solitário do país da Patagônia, encontra um pequeno cavalo que lhe parece estar abandonado. A alegria de ter um amigo novo e maravilhoso para brincar, faz o garoto pensar que pode mantê-lo. Ele não percebe que o cavalo está realmente esperando regressar ao seu verdadeiro dono.

10. Apagando Traços (Borrando Huellas), Armando Camero, México, 2013, 5,5 minutos Um pai leva o seu filho numa viagem de fim de semana para dar continuidade à tradição da família. Ambos amam a natureza, cada um à sua maneira. Fotografia e caça. Eles vão atravessar a floresta, para caçar um urso negro. A criança está a ter um segundo pensamento sobre seguir tradições mas que envolvem contaminação, danos e morte. Mas o seu pai não fica feliz com essa ideia.

11. Era Uma Vez Uma Árvore (Once Upon a Tree), Marleen van der Werf, Holanda, 2014, 15 minutos Sentada no seu carvalho favorito, Filine de 11 anos encontra as pequenas maravilhas da natureza à sua volta. Ela vê a beleza, os dramas da vida e em torno desta árvore a maioria das pessoas não parecem conscientes disso. Então, quando as árvores começam a cair na floresta, Feline começa a temer que um dia vai perder o seu carvalho favorito. A menina rebelde faz um plano para parar o corte de árvores na floresta. Mas se nada mudar, o que vai acontecer?

 

Para mais informações: 295 217 845 ou ccah.oaa@gmail.com